parceiroapb.png

Quem somos?

Uma associação comunitária, composta por ribeirinhos, pescadores, estudantes, todos moradores dos municípios de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, no litoral norte de Alagoas. Atualmente contamos com 53 associados, destes 20 são condutores do Passeio ao Santuário do Peixe-boi, 23 são remadores, além de artesãos e sócios colaboradores, todos nascidos e criados na região. Conheça nossa Diretoria:

Jefferson José, Paulo Bandeira, Josiel José, José Henrique e José Ismar: São conselheiros fiscais da Associação. Portopedrenses e ribeirinhos. Atuam como remadores no turismo de observação do peixe-boi. Millena Melo: Recepcionista da Associação. Portopedrense. É auxiliar de escritório e estudante.

Prancheta 5 cópia 6.png

Qual é a nossa grande missão?

Exercer de forma comunitária e organizada o turismo de observação do peixe-boi marinho, contemplando os ecossistemas manguezal e recifes de corais.

Procuramos proporcionar, além dos agradáveis passeios de jangada, uma consciência ecológica através da sensibilização ambiental, tanto aos turistas quanto à comunidade local.

Prancheta 5 cópia 7.png

Qual é a visão que norteia o nosso caminho?

Ser reconhecida pela sociedade como uma organização civil de referência na atividade do turismo ecológico de base comunitária, no apoio à conservação da natureza e no desenvolvimento da educação ambiental.

NOSSA HISTÓRIA 
associaçãopeixeboi.png
Turismo de Base Comunitária

A Associação Peixe-boi realiza atividades e serviços envolvendo a comunidade no atendimento de visitantes. Os comunitários de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, no litoral norte de Alagoas, de forma associativa e solidária, organizam o passeio para observação do peixe-boi no Rio Tatuamunha, passeios ecológico-culturais pela Rota Ecológica de Alagoas (região que integra os municípios de Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras).

Promovem também artesanatos produzidos na própria associação ou por parceiros locais, como: pelúcias do peixe-boi, sabonetes, camisetas, chinelos e lembrancinhas diversas. Estas ações visam à diversificação da economia local e a geração de renda para famílias vulneráveis socialmente. Incentiva a valorização da cultura local e das atividades tradicionais em consonância com a conservação da rica biodiversidade da região.

Captura de tela 2022-07-06 224947.png

Observação do
Peixe-Boi

Para realizar a observação dos peixes-boi no Rio Tatuamunha, sem impedir que eles cumpram seu papel biológico (interação com outros indivíduos da mesma espécie, reprodução, alimentação, descanso), faz-se necessário respeitar algumas regras.

Para evitar um número excessivo de operadores, o ICMBio só permite que o passeio seja realizado por condutores capacitados e credenciados a cada temporada de 2 anos. Todos os condutores, remadores e artesãos envolvidos com a atividade estão unidos através da Associação Peixe-Boi.

Vejamos algumas regras:

Aberto todos os dias, sendo necessário o agendamento por telefone ou email;

• Os passeios de jangada no rio tatuamunha são restritos ao horário das 10h às 17h. A duração do passeio é de 1h30m (o último embarque deve iniciar às 15h30m para encerrar a tempo);

• Não é permitido alimentação nem qualquer forma de interação do público com o animal, apenas a observação.

•  10 passeios por dia, totalizando 70 visitantes/dia com 20 condutores credenciados, fazendo rodízio (dia sim, outro não).

Captura de tela 2022-07-06 225240.png
Características do Passeio

Contemplação do rio e manguezal de Tatuamunha, com sua flora e fauna local, em especial o peixe-boi. O visitante é acompanhado por um condutor credenciado durante todo o passeio. Começa com uma pequena caminhada pelo povoado até chegar à ponte estreita sobre rio e manguezal (15min).

Após a travessia da ponte, onde já se pode contemplar a beleza e riqueza da biodiversidade local (+15min), embarca-se numa jangada simples, conduzida com varas por 2 remadores. Segue-se por um passeio tranquilo com algumas paradas no leito ou nas cambo as do rio, além de uma parada para observar o recinto de readaptação dos peixes-boi e, com sorte, para contemplar os animais livres que podem ser encontrados no percurso (+1hora).

Duração: cerca de 1h30min.

Grau de dificuldade: baixo/médio (tomar cuidado na travessia da ponte de madeira por ser estreita e rústica).

Restrições: antes da trilha, favor verificar regras específicas da Zona do Peixe-boi no Plano de Manejo da APA Costa dos Corais, disponível na recepção da Associação.

Dicas: se tiver medo de se equilibrar na ponte, vá de mãos-dadas; na jangada, use colete salva-vidas. E fotografe tudo, seu passeio será inesquecível!

Agendamento: (82) 3298-6247 ou WhatsApp: (82) 99810-3021